Resenha de A Cor Que Caiu do Céu, de HP Lovecraft

-

Após um meteoro totalmente estranho, com uma cor totalmente estranha em seu centro, chegar na vizinhança da pequena cidade de Arkham… Coisas cada vez mais estranhas e sinistras vão acontecendo, desafiando a sanidade dos cidadãos da região… O que seria a… Cor Que Caiu do Céu?


Editora: Iluminuras
Páginas: 256
Ano de publicação original: 1927

Sinopse:

Os elementos que constituem a rara arquitetura de H.P. Lovecraft estão presentes nos contos de A cor que caiu do céu. Acontecimentos aparentemente inverossímeis, mas sem dar lugar ao acaso, fazem o leitor transitar trilhas obscuras, onde o inominável faz sua aparição, pondo a perder toda e qualquer ilusão de segurança. Os contos encerram estranhas sensações, prendendo o leitor que, fascinado e devorado pelo pavor que se desprende destas páginas, luta com as personagens na corda bamba da sanidade. Seus mitos expressam a grandeza e o terror imemorial do universo, e ele conseguiu traduzir em linguagem e emoção as criações mais estranhas, mais aberrantes e simbólicas da imaginação ocidental.


Um relato alternado em primeira e terceira pessoa, conduzido de maneira natural, dinâmica e fluida. Conta a história de uma família que foi afetada por algo totalmente estranho. O narrador foi para a região citada para fins profissionais, pois uma represa atingirá aquela região. Ele conheceu por passagem a Charneca Crestada e, curioso, visita o senhor Ammi, que conta um pouco mais sobre a história da região… Sobre dias estranhos…

Teve um fatídico dia, onde um meteoro chegou na mencionada Charneca, que antes, era uma casa bem construída de uma fazenda um pouco afastada do vilarejo de Arkham. Rapidamente, vários acadêmicos cientistas vão para a região para pesquisar a fundo o estranho material. Com uma certeza, que não é parecido com coisa alguma que exista na Terra.

Entretanto, enquanto estudos são feitos e, estranhamente finalizados, a região sofre com mudanças indesejáveis. A fauna e a flora começaram a se transformar. Frutos abundantes, grandes, porém podres foram produzidos naquelas terras. Árvores começam a murchar e ganhar certa fluorescência. Tragicamente, a família dona daquelas terras começou a mudar, de forma inesperada e inominável.

O curtíssimo conto de Howard Philips Lovecraft tem extrema qualidade. Em suas poucas páginas, ele nos faz ter medo de uma simples cor. Seu terror psicológico é bem desenvolvido, mostra como desafortunada começa a sofrer com os efeitos do meteoro que caiu em suas terras. Nos colocando no lugar do contador da história, que só acredita nos fatos porque estava lá presenciando-os.

A escrita é dinâmica e a leitura de bom ritmo. Trabalhando com excelência a expectativa no leitor, não se apresenta o que se espera ver e, por causa disso, o seu suspense é mais assustador. Com uma pitada de suas críticas para como lidamos com o estranho e o desconhecido. Seja algo (meteoro) ou alguém (a família). Mentes mais imaginativas podem ter calafrios ou sonhos interessantes, por conta disso, cuidado… Já que o estranho e o inimaginável caminham entre nós e nos tratam como simples ralé… E quando nos nota… Queima…

“— Nada… nada… a cor… ela queima… fria e molhada… mas queima…”

Caíque Apolináriohttp://bookstimebrasil.com.br
Escritor de três livros de ficção em conjunto com a Raquel Cortez Machado e host com a voz mais sedosa da podosfera. Viciado em café, multi tarefas e o suporte de toda a equipe.

Compartilhe

Posts Recentes

Cappuccino Cast #161 – Reality’s Show: Entretenimento ou Experimento Social?

Cappuccino desta vez avalia os Reality's Show: são Entretenimento ou Experimentos Sociais? Gravamos ao vivo falando sobre os principais programas,...

Na Gaveta 21 – Bolão do Brasileiro, Champions e clássicos nos estaduais!

Prepare o grito, a zuera e a corneta para o mais novo Na Gaveta! Debatemos ao vivo na Twitch as noticias relevantes da quinzena e...

Resenha de A Conspiração da Aranha, de James Patterson

Nesta primeira aventura de Alex Cross escrita por James Patterson, temos o estabelecer do personagem junto de sua família e amigos. Além de um...

Resenha de Neuromancer de William Gibson

Um dos grandes e excelentes pilares da ficção científica ganha seu espaço aqui no Book's Time Brasil! Então chegue mais em artiste e tome...

Mais postagens

Cappuccino Cast #161 – Reality’s Show: Entretenimento ou Experimento Social?

Cappuccino desta vez avalia os Reality's Show: são Entretenimento ou Experimentos Sociais? Gravamos ao vivo falando sobre os principais programas,...

Na Gaveta 21 – Bolão do Brasileiro, Champions e clássicos nos estaduais!

Prepare o grito, a zuera e a corneta para o mais novo Na Gaveta! Debatemos ao vivo na Twitch as noticias relevantes da quinzena e...

24 Frames por Café #29 – As Cores em A Mão Que Balança o Berço

No episódio deste mês, o 24 Frames por Café debate sobre o uso das cores no filme A Mão Que Balança o Berço. Este...

Resenha de A Conspiração da Aranha, de James Patterson

Nesta primeira aventura de Alex Cross escrita por James Patterson, temos o estabelecer do personagem junto de sua família e amigos. Além de um...

Resenha de Neuromancer de William Gibson

Um dos grandes e excelentes pilares da ficção científica ganha seu espaço aqui no Book's Time Brasil! Então chegue mais em artiste e tome...

Elementar 115 – The Good Place (Parte 1 de 2)

No Elementar dessa semana, o Elementar se une com o Maratona de Sofá para fazer um crossover de duas partes sobre a série The Good Place! A...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Recent comments