Memórias APagadas Poemas

Meu tempo está acabando
Devo amadurecer intenções?
Minha inspiração vai esgotando
Não a jogarei em superstições
Eu posso enxergar o real
Não fingirei belas emoções

Se o mundo exige elegância
Isto nunca me levou a nada
Prefiro morrer sem relevância
Isto afogou quem eu fui
Apagou retratos da infância

Minhas cicatrizes são história
De minha singular percepção
Minhas olheiras são memórias
De minha tentativa de erudição

Agonizando nas trevas
Gritando ao desconhecido
Meus medos saem do baú
E meu corpo é vencido
Meu resto de esperança
Pelas chamas foi consumido

Então quando eu respiro
É tudo uma encenação?
Será que quando eu sangro
Isto vem de meu coração?
E então se eu ainda existo
Será que tenho salvação?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.