Tutorial da Vida | Aquelas amizades...

Sempre tive muitos amigos, milhares de conhecidos e poucos inimigos. Na minha infância, a casa estava sempre cheia de amigos, brincava na rua, só voltava pra casa quando a mãe chamava pela oitava ou decima vez.

Mas hoje quero falar sobre uma época em que eu estava sempre com dois amigos: Adalberto e Marcelo. Estávamos sempre juntos e com isso sempre aconteciam muitas coisas engraçadas, vou tentar lembrar de algumas:

Eu sou palmeirense, Adalberto é corinthiano e o Marcelo torcia para ninguém. Como ele sempre dizia: “torcendo pra mim já está difícil, imagina torcendo para os outros” , mas na verdade ele era um folgado, quando o Palmeiras perdia ele me enchia e, quando o Corinthians perdia, partia pra cima do Adalberto. Não tinha o que fazer, então tive uma ideia e o Adalberto concordou na hora. A partir daquele momento o Marcelo torcia para o Santos, quando o Santos perdia, eu e o Adalberto enchíamos ele. Podia ser pior, podíamos ter escolhido a Portuguesa por exemplo.

Uma vez fomos para Barretos, na volta passamos por São José do Rio Preto e fomos comer no Habib´s. Em Marília, ainda não tinha nenhum restaurante de Fast food nessa época. Pedimos algumas esfihas e no final, passou um garçom com um carrinho cheio de sobremesas. Perguntou se aceitava uma sobremesa da casa, eu logo fui escolhendo umas duas, o Marcelo não falou nada. Quando o garçom saiu, eu já estava na metade da segunda.

Então, o Marcelo falou “Ô Burro (é assim que um chama o outro até hoje), você sabe que vai ter que pagar por isso né?” eu assustado disse “Não é da casa?” e com todos rindo ele fala “Sim, é da casa, não por conta da casa”.

Já o Adalberto é quase uma concha de tanta pérola que ele produz. Uma vez estava comprando um carro e acabou desistindo, dizendo que o carro tinha tomado uma chuva de “granito”. Outra vez, estavam explicando pra ele que tinham pego um CD e gravado várias músicas de bandas diferentes, logo, ele falou: “Entendi, você fez uma selecionagem”. Eu disse: “Isso, inclusive a selecionagem do Brasil vai jogar com a selecionagem da Holanda amanhã”.

Quando ele foi comprar o anel de noivado para a sua esposa eu estava junto. A vendedora mostrou vários e perguntou “Qual a faixa de preço que o senhor gostaria de pagar?” e ele respondeu: “Nessa faixa etária mesmo”. Eu não aguentei: “Ela quer saber quanto você quer pagar, não a idade do anel”.

Entretanto, a pior dele foi em um final de noite. Estávamos voltando pra casa e o Adalberto dirigia o carro, de repente, ele viu uma pessoa abaixada fechando o trinco de um portão. Diminuiu então a velocidade e falou “Olha que bundão”, logo em seguida, a pessoa levanta e olha, tinha mais barba que o Enéias, e ele abaixou, se encolheu no banco do carro e, acelerou, na esperança que ninguém percebesse, tarde demais…

A amizade é o que se leva dessa vida, tive bons amigos e lembro hoje em especial destes dois. Que não encontro a muito tempo, mas o mesmo carinho e amizade permanecem até hoje.

bio PUERTO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.