Jean Grey - Retorno após 13 anos
Jean Grey – Retorno após 13 anos

Um dos primeiros pupilos de Charles Xavier (​e o avatar favorito de uma poderosa entidade cósmica)​ Jean Grey, um dia conhecida como “​Garota Marvel”​, viverá em 2018 uma ascensão que poucos personagens de quadrinhos puderam alcançar.

Com sua versão original finalmente voltando às páginas das revistas e uma nova adaptação de Fênix Negra para o cinema, a mutante se encontrará em sua melhor fase. Ambas as novidades estão ligadas diretamente a grande saga dos mutantes escrita por Chris Claremont e John Byrne, onde vemos a mais doce integrante dos X-Men​, criada por Stan Lee em 1963, ser corrompida por um grande poder.

A mais poderosa telepata do U​niverso Marvel teve seus poderes despertados aos 10 anos de idade, quando presenciou o fatal atropelamento de sua melhor amiga.

Entrando em um estado depressivo até receber auxí​lio de seu futuro mestre e amigo, o Professor Charles Xavier. Ele quem vê​ em Grey um grandioso poder, tanto em sua telecinese quanto em sua telepatia, que mesmo em sua forma bruta, já era impressionante. Por fim, ele convida a jovem para ser a ú​ltima integrante a formar os X-Men (​junto de Ciclope, Fera, Anjo e Homem de Gelo)​.

Desde então, a poderosa telepata já participou de grandes batalhas, foi tomada pela Força Fênix, integrou-se​ a outras equipes, foi diretora do Instituto e morreu algumas vezes (mesmo que sua morte mais impactante e relevante para a cronologia dos mutantes seja seu sacrifício durante os acontecimentos da “Saga da Fênix”​, que reverbera até então).

        Uma nova fase nos quadrinhos

Após 53 anos de sua criação, Jean Grey terá sua primeira revista solo
Phoenix Resurrection – 2018 Marvel Comics

Depois de muito tempo sem dar as caras e com Michael Bendis assumindo o controle dos mutantes em uma nova fase da Marvel Comics em 2012, Jean e os demais membros da formação original dos X-Men​ foram trazidos do passado pelo ​Fera. A intenção dele era colocar frente a frente as​ duas versões do Ciclope, que se tornou um revolucionário mutante após os acontecimentos da saga “Vingadores vs X-Men” e a fatídica morte do Professor X.

 Deslocada no tempo ​e ainda com pouco conhecimento de toda a real​ extensão de seus poderes​, ela acaba sendo​ bombardeada por informações que ocorrerão ​em seu futuro, e sabendo do seu destino, acaba aprendendo a chegar aos limites de seu poder (que nem mesmo sua versão original conseguiu). Logo, ela se prepara para encontrar sua velha e nova amiga, a Força Fênix.

A poderosa entidade​ cósmica começa a dar sinais de sua chegada, enquanto ​uma grande quantidade de acontecimentos estranhos ao redor ​do globo, despertam grandes dúvidas nos X-Men, principalmente; a Jean Grey original poderia estar viva​? E também; como lidarão com a Fênix?

Jean precisa enfrentá-la​, buscando ajuda de diversos telepatas desse grande universo, até mesmo de sua versão adulta, dando início ​a uma nova aposta da Marvel, a “Phoenix Resurrection”​, onde após 53 anos de sua criação, Jean Grey (a original)​ terá sua primeira revista solo, guiando uma nova equipe mutante​, o X-Men RED, prevista para​ 2018.

A segunda tentativa de adaptar as telonas

Depois dos acontecimentos de X-men Apocalipse, algo mudou em Jean Grey
Jean Grey – Fênix Negra

Como mencionado anteriormente do texto de The Gifted: A trajetória mutante, o terceiro filme da saga, X-Men: O confronto Final​, foi um divisor (negativo) de águas na produção de filmes de super-heróis​, colocando a equipe na geladeira por alguns anos.

Com uma adaptação falha ao tentar se igualar a​ grandiosidade de seu material fonte, o filme com um roteiro raso, acabou ​descaracterizando sua personagem foco, que ​se perde em meio a uma duplicidade de tramas na tentativa de abordar​ dois momentos importantes da equipe; a “Saga da Fênix” e todo o contexto da cura mutante. Conseguindo a proeza de ​não fazer justiça a nenhuma delas.

Com a renovação de todo o elenco para suas versões mais jovens, a Saga da Fênix será a próxima adaptação aos cinemas​, já agendada para novembro de 2018. Nessa nova leva de filmes, Jean é​ interpretada pela atriz Sophie Turner (Game of Thrones), e aparentemente​ dessa vez a personagem finalmente irá ao espaço de encontro com sua sina, podendo assim ser entregue uma obra mais perto do material de origem.

 Em meio às declarações do elenco e do diretor Simon Kinberg, esse será o projeto do estúdio que mais utilizará os elementos dos ​quadrinhos no roteiro, podendo levar as adaptações de tais personagens para um novo patamar. E levando em consideração a recente compra da Fox pela Disney, esta será uma bela oportunidade para a despedida das atuais encarnações dos Filhos do Átomo (já que inevitavelmente ganharão uma nova versão pelas mãos do Marvel Studios).

Jean Grey vive!

Em uma época em que personagens femininas ganham cada vez mais visibilidade dentro e fora dos quadrinhos, como Mulher Maravilha, Viúva Negra e Capitã Marvel, Jean Grey jamais poderia ser esquecida, seja por sua personalidade doce e caridosa ou pela absurda e até assustadora extensão de seus poderes.  A mutante é a representação de companheirismo, amor e esperança, a forma física de que tudo que Charles Xavier acreditou e ensinou a seu alunos não era apenas sonhos de um visionário. Jean Grey não foi simplesmente um avatar da Força Fênix, mas sim escolhida, sendo destinada a tamanho poder.  Mas isso fica para um próximo texto…

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.